Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2020

ACOLHIDA

  Estive léguas de um canto seguro Andando com vestes coloridas Insisti, roguei aos santos e juro, Cheguei a tempo de ver janelas floridas   Seria desnecessário qualquer providência Sem a benção de fé revestida Entendi que é de praxe a reverência Que se deve ter pela vida   Não desisti na primeira queda Nem abusei da mão estendida Valor maior que qualquer moeda É gratidão de amizade e acolhida   Visitando segredos pelo tempo Escritos em versos pela cidade Sendeiro testemunha o vento Transforma ciclo, festejo e verdade.          

E é isso aí, Menina

  Embala e dá o tom, menina O suspiro vem do glacê O vestido evasê A saia godê O quarto rosé   Escuta aquele som, menina Não chega tarde Não faz alarde Muito sol arde Se benze e se guarde   Cadê o seu batom, menina? Se for para sua idade Aceita a realidade Enfrenta com dignidade Conquista a faculdade   Decifra o seu dom, menina Encontra o seu lugar Procure não reclamar Queira se reorganizar Que logo vai se casar     E tudo de bom, menina Você amadureceu Seu filho nasceu Aquele sonho aconteceu E, enfim, menina, você venceu!          

Dança Lua

​ Há  pétalas sobre a  varanda E o sol invade a escuridão Da  bergamota  que  transpassa teu cenário Um perfume  que  afasta  solidão   Ela é terra, é mãe, é instante Convicções e zelo   profundo À flor da pele, expande   horizonte Intensa e plena,  move o mundo Seus credos e segredos Doce sopro  e   labareda Esplendor  de  certezas e  medos D escortinam  azul  vereda   Alma negra dança lua  Que carrega  emoção Uma força que cultua  Amor, entrega e tradição    

NEGRA TEZ

  Partilha teu sentimento  Transborda sensatez  A beleza que traz na alma  Revela-se na sua Tez  Não sei se exala perfume  Ou espalha sonhos outra vez    Desliza pela guia  que exprime teu extrato  tingido por carmim  feito essência do inexato  E ao desacelerar o passo  suaviza sereno ato    Quando desperta e respira   no ensejo da reconciliação  com seu universo raro  traz no bojo, imaginação  Cantaria seus prelúdios  Negra tez, que vibra emoção