Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2020

Cachoeira da Rapadura-Costa Rica MS

  Despedir-se de 2020 nas águas das Cachoeiras em Costa Rica,  no encontro do Planalto Central Brasileiro com o Pantanal .,  tem um significado de limpeza para qualquer nuance negativa na vida! Que venham novas águas, novos ares, tudo renovado e ressignificado! A Cachoeira da Rapadura, uma sequência de saltos com águas cristalinas, é um verdadeiro espetáculo da natureza, perto da divisa de Mato Grosso do Sul e Goiânia.  

Cachoeira do Saltinho Costa Rica MS

 

Costa Rica MS Cachoeira Das Araras

 

Eles Não Querem Uva Passa

Eles não querem Uva Passa E fazemos nossa Ceia assim Um pouco deles vou buscando E deixando muito de mim   Quando o Espírito de Natal nos encontra Tudo se equilibra, tem seu rumo  A definição do congraçamento ressignifica E nos coloca em sensato prumo   Como se nunca houvesse tristeza Nunca, no poder do advérbio, sem desentendimento Trazendo o Eterno, o enlace, o fraterno e o verdadeiro sentido do nascimento   E nas manhãs sem desatinos Ouso e faço meu louvor Espírito do Natal envolva as famílias Em Paciência, Sabedoria e Amor.

Para o Ano que Chega

  Para o Ano que chega   Para o Ano que chega, Escolha o perfume de uma flor, algo que valha a pena Da paisagem à retórica do amor O mundo tem boas surpresas E o extraordinário ao redor Dê chance à essa beleza, E tudo fica ainda melhor.   Não se deixe cegar pela antítese da alegria, Pois antes de cada passo e em cada oração, existe a semente de um querer bem e a centelha da própria criação.   E pode acreditar Seu ano será diferente Cheio de encontro sincero E instantes singulares pela frente.  

INDEFECTÍVEL ABISMO

Ele quer, te olha e tem vaidades Faz deboche da sua escuridão Ao resetar arroubos e possibilidades Vê desnecessária tal pretensão   Sua pueril   ternura e ácida frieza Estilhaçariam emoções insondáveis É opcional compartilhar a incerteza E recortes de meus afetos inefáveis E assim o é E o seria Ainda que brando estivesse   Ainda que eu partisse, volátil O abismo então, se compraz tardio, Desatando o nó do meu próprio canto sombrio.    

TEMPO E REDENÇÃO

Abro os braços Existem motivos para seguir adiante Depois do sofrimento, O aprendizado me faz confiante   São nas trilhas dessa vida Que encontro alegrias, muitos sorrisos e algumas armadilhas E tudo dá sentido aos dias   Quando há revés Faço oração, Ocupo o tempo, Acalmo o coração   Tudo passa, bem depressa A vida é feita de momento Há música, verso e contemplação Para celebrar cada acontecimento   As respostas virão com o tempo Encontro razões, aprimoro a mente O mundo corre pelas veias O sol, sempre, brilha novamente.

Cinza, Cor de Festa

Hoje o dia acordou cinza, com jeito molhado Me dizendo sobre manhãs De encanto e céu nublado   O aroma era de café forte Algo cálido que se instalava Enquanto a semana, por sorte Novos planos, anunciava   E cantam bem-te-vis Em dança que verte proeza araras aos pares se espalham No espetáculo de rara beleza   Sim, há flores lá fora Mesmo num dia denso, chuvoso E festa no balé das horas De toada mansa e horizonte charmoso          

ACOLHIDA

Estive léguas de um canto seguro Andando com vestes coloridas Insisti, roguei aos santos e juro, Cheguei a tempo de ver janelas floridas   Seria desnecessário qualquer providência Sem a benção de fé revestida Entendi que é de praxe a reverência Que se deve ter pela vida   Não desisti na primeira queda Nem abusei da mão estendida Valor maior que qualquer moeda É gratidão de amizade e acolhida   Visitando segredos pelo tempo Escritos em versos pela cidade Sendeiro testemunha o vento Transforma ciclo, festejo e verdade.          

Embala e dá o Tom, Menina

  Embala e dá o tom, menina O suspiro vem do glacê O vestido evasê A saia godê O quarto rosé   Escuta aquele som, menina Não chega tarde Não faz alarde Muito sol arde Se benze e se guarde   Cadê o seu batom, menina? Se for para sua idade Aceita a realidade Enfrenta com dignidade Conquista a faculdade   Decifra o seu dom, menina Encontra o seu lugar Procure não reclamar Queira se reorganizar Que logo vai se casar     E tudo de bom, menina Você amadureceu Seu filho nasceu O sonho aconteceu E, enfim, menina, você venceu!          

Dança Lua

​ Há  pétalas sobre a  varanda E o sol invade a escuridão Da  bergamota  que  transpassa teu cenário Um perfume  que  afasta  solidão   Ela é terra, é mãe, é instante Convicções e zelo   profundo À flor da pele, expande   horizonte Intensa e plena,  move o mundo Seus credos e segredos Doce sopro  e   labareda Esplendor  de  certezas e  medos D escortinam  azul  vereda   Alma negra dança lua  Que carrega  emoção Uma força que cultua  Amor, entrega e tradição    

NEGRA TEZ

  Partilha teu sentimento  Transborda sensatez  A beleza que traz na alma  Revela-se na sua Tez  Não sei se exala perfume  Ou espalha sonhos outra vez    Desliza pela guia  que exprime teu extrato  tingido por carmim  feito essência do inexato  E ao desacelerar o passo  suaviza sereno ato    Quando desperta e respira   no ensejo da reconciliação  com seu universo raro  traz no bojo, imaginação  Cantaria seus prelúdios  Negra tez, que vibra emoção    

De Stella Para Romilce

 Na mesa estavam: papai, mamãe, vovô e vovó. Depois de vários dias e muitos nomes, restaram apenas dois nomes para escolherem: Carla ou Stella. Carla, por ser feminino de Carlos, nome do papai, portanto, escolha dele. Stella era escolha da mamãe, por significar 'Estrela'. Então começaram a votação e por fim, o nome escolhido foi Stella. Meus avós ficaram muito felizes com meu nascimento. Primeira neta, uma alegria na vida deles. Minha avó sempre brincava comigo, me levava para comprar vestidos e fazer muitos passeios. Mas, principalmente, minha avó me ensinava a importância de Deus em nossa vida. Sempre íamos à igreja, todos juntos, aos domingos e todos os livros que ela me dava, eram com histórias de Jesus. Ela adorava me contar histórias. Porém, um dia, quando eu já estava com seis anos, meu pai me chamou e me contou que minha avó estava com uma doença muito grave e que ela seria operada. Eu tinha certeza de que minha avó seria vitoriosa e ela foi. Apesar do câncer tão agress

MALABARISTA

 ELEVA TEU OLHAR QUE O INSTANTE PASSA ESQUECE   O TEMPO E URGÊNCIAS RASAS VÊ OS MALABARES QUE ENCANTAM AS ESQUINAS. A CIDADE TALVEZ NÃO PERCEBA, O ESPETÁCULO,   A BELEZA, A DESTREZA QUE INVADEM, RESOLUTOS, NOSSOS FRÁGEIS PALCOS URBANOS. O ARREMESSO PRECISO DO ARTISTA COM SEU SORRISO, OCULTA DOR E DRAMA INVISÍVEL QUE PERMEIA PAISAGEM DE CENÁRIO CONTUNDENTE TUA ARTE QUERER LATENTE NUM PULSAR TRANSITIVO, E DESPERTAR CONSTRITO,   PACIENTE DE INDELÉVEL SEMENTE. #PoesiaNaEsquina      

Dia dos Pais é Todo Dia

  Meu pai é aquele cara que sempre esteve ao nosso lado. Festa dos pais, festa junina, festa dos amigos, aniversários, até serenatas que faziam para a gente ele estava junto. Um dia ele cismou de matricular, eu e a Valéria em uma aula de datilografia, às 7 da manhã. Meu Deus pai. Como assim?... Mas enfim, nos formamos na tal da datilografia com louvor. Um dia ele inventou um tal de despertador para não ter que acordar um por um, afinal éramos 4 filhos. Mas não era um despertador qualquer, aquilo mais parecia um relógio de parede de tão grande, orelhas imensas, e gritava mesmo. Confesso que aquilo me assustou muito. Papai resolvia por decreto, e ele decretou que cada dia , o “cebolão ‘ dormiria no quarto de um filho e este chamaria os outros irmãos para a escola. No meu dia eu enrolava o cebolão no cobertor e o colocava dentro do guarda-roupa. Ufa! Me livrei do forte Tic Tac durante a noite e ele tocava suave de manhã. Eu acordava plena e chamava a turma. E assim, achei um jeito de conv

Flores & Escartelate

Comemorar a vida É sentir a magia das horas feito brisa que sopra no rosto. Comemorar a vida, é ver que a beleza do dia pode estar no cair da tarde, no festejo de um abraço, ou no afago do aroma de alecrim. É música que invade o jardim. E nos infinitos das flores e em cada canto desse mundo, passo a entender melhor as cores que inundam meu refúgio e enfeitam as esquinas de cada estação. O Escartelate da minha infância tenho, a lembrança, do sabor, do doce, da emoção. Por tudo, sempre, Gratidão (Carmen Eugenio 6 de agosto de 2020) (Escartelate é um doce italiano que minha avó paterna, Carmen Eugenio, fazia para todos os netos. Família típica italiana, sentávamos, efusivos, eufóricos e entusiastas, ao redor da mesa da sala quando então, vovó entrava, solenemente, com os escartelates mergulhados no mel, para deleite dos convivas. E todos nós temos essa deliciosa memória afetiva até hoje. E pelo resto de nossas vidas!    

Refúgio na Pandemia 2020

Há instantes, Reguei primaveras no jardim. São movimentos e texturas Que me envolvem no retiro. Aprecio o balé das araras, Numa lenta cadência e despretensioso vagar. Há cheiro de manjericão no ar e o vento seco do inverno me faz só, como um resoluto esteta que aprecia luas de quarto-crescente com algodão doce na soleira. E o silêncio me aquieta e me reseta. Busco a companhia de palavras em livros e poemas, para atravessar o ciclo e alcançar revoada. (Há Vida na Pandemia)

O Senhor da Razão

O “Senhor da Razão” não percebe que tudo na vida é uma questão de perspectiva. Cada ser humano tem uma interpretação, o que faz do “Senhor da Razão” alguém sempre sozinho. Por isso, o mais importante, continua sendo o respeito. O respeito te traz paz, companhia dos que te amam e te faz alguém bom. Porque a nossa verdade, na maioria das vezes, é apenas nossa. Não queira que suas convicções sejam as mesmas de outras pessoas. Isso não existe. Abandone o vitimismo de acreditar que é enganado. Ninguém tem culpa da sua visão distorcida de si próprio, de não se achar digno de ser feliz e sempre estar procurando defeitos nas pessoas ao seu redor. A responsabilidade sobre sua felicidade é apenas sua. Você é o responsável . Jamais culpe alguém pela sua infelicidade. Isso vale para todo relacionamento: entre pais e filhos, entre colegas de trabalho, entre sócios, entre amigos, entre irmãos e entre cônjuges. Apenas aceite outros pontos de vista, sem julgamentos e sem se colocar

RECOMEÇO

RECOMEÇOS Eu iria longe, Muito longe Além das minhas mais sublimes intenções Alcançaria distâncias Escondidas e esquecidas Datadas e revisitadas, Onde deixei discursos ensaiados, e histórias polvilhadas De revoadas além claustro. Seguiria resoluta Mas encontrei impermanência. E, assim, escolhi fresta Que me levasse a qualquer lugar. Ensaiei acenos E desisti da insistência de um Ficar impossível.  Enfim,  recomeço, Permeado de arroubos.

Fizemos Pão Italiano!

Mais uma da nossa Quarentena! Hoje fizemos nosso primeiro Pão Italiano! Ficou uma delícia ! Faz tempo que estamos ensaiando, com vontade de fazer! Então, vimos várias receitas e escolhemos a nossa, com informações aqui e ali. Fazer esse pão, tem um significado para nós, pois nos conecta diretamente aos nossos avós italianos. É como se os honrássemos mais esse dia, fazendo um ícone da cozinha italiana. Sim, aqui em casa eu e meu marido somos descendentes de italiano. Uma calmaria só 😂. Tudo é intenso! Mas, voltemos ao pão! Sua receita é muito fácil. Alguns deixam ele descansar por 1 hora, 4 horas... Cada um faz de um jeito. Escolhemos deixar a massa descansar por 12 horas então fizemos as dobras e colocamos para assar . Nosso forno é elétrico, pode dar alguma diferença para quem usa forno à gás. Mas vá testando até chegar no formato adequado a você. Pão simples e leve, que carrega toda uma ancestralidade em si. Aventure-se e  buon appetito!!

Ressignificar

Quando eu busco ser alguém melhor, entendendo minhas dores e limitações pessoais, eu, automaticamente, tenho um olhar pelo outro, pois saio do lugar de vítima para protagonista. Isso promove relações mais harmoniosas. Entrelaça. Aproxima. Acolhe. Quando sou capaz de abandonar certezas e razões pessoais, Para me desculpar com outra pessoa, Eu crio pontes, teço possibilidades, Dou um passo para o congraçamento. Doar de si, traz mais sentido à vida. Transforma o mundo. Te ressignifica e promove a paz.

Gratidão Por Ser

De repente em algum lugar você encontra alguém que faz a caminhada valer a pena. Não abracei tristezas e não escolhi colher espinhos. Assumo estações instáveis em que me coloco assombros. Descortino fases, votos, risos e sensações profundas Sem saber do tempo que resta. Janelas ensolaradas anunciam enlevo, E alguns de meus passos, tropeçam em escombros. A história passa assim, rapidamente, Rente à foz, quando da transição, Escuto presságio de lucidez Que me inspira e reseta o caos. Em evolução comprimida, Na escalada desse isolamento inóspito, Há cenas de perfeita luz e calor infinito, Verbos afáveis que salvam meu repertório e tornam possível minha tênue, mas consistente, expressão do ser.

Casamento? Por que não?

A beleza atrai, mas não segura. O dinheiro atrai, mas não segura. A juventude atrai, mas não segura. Qual o seu maior capital para investir em uma relação a dois? Minha aposta é paciência, empatia, resiliência. Um tripé que é bem-vindo: respeito, confiança e admiração. Você tem que decidir que vai fazer dar certo. Nada dá certo ao acaso. O casamento não sobrevive sozinho. Você tem que fazer dar certo. O que você espera de um casamento?  Companheirismo, apoio mútuo, crescimento pessoal e espiritual. Ou apoio material apenas? Percebo que quando tudo se apoia no material apenas, algo superficial como beleza, dinheiro e juventude, a relação não sobrevive. Não consegue superar adversidades. Vai daí que...Buscando algo para continuar, buscando motivos para permanecer, buscando objetivos que justifiquem a caminhada a dois, pode acontecer de dar certo.  Afinal, se aconteceu e foi bom, já deu certo.  Seja feliz com quem está ao seu lado e encontre razões para viver com leveza.  Não é pr

Lixo espalhado? De novo?

Domingo de manhã, começamos a nossa caminhada pelo bairro e constatei algo muito ruim: todos os sacos de lixo reciclável estavam abertos, com resíduos plásticos espalhados pela rua. Isso acontece sempre e é lamentável ver esse cenário. Os catadores de lixo aqui em Campo Grande-MS, abrem os sacos para tirar o que lhes convém, mas não os fecham novamente. Se chove, a água leva os resíduos rua abaixo até chegar ao parque e ao rio, entupindo todos os bueiros pelo caminho. Bem triste. Na quadra em que moro, há um cidadão que sempre dá refeição a um morador de rua. Que atitude bacana. Mas na sequência, o morador de rua, abandona o prato de isopor e a sacola ali mesmo, na calçada. Esperar o quê... E aí vem o vento e esparrama todo aquele lixo pela rua, até chegar no rio logo abaixo. Durante a caminhada, na Via Parque sentido Parque do Sóter, há uma trilha de sujeira na pista de caminhada e ciclismo. Plásticos, garrafas e papéis jogados ao longo da via. Claro que há uma evidente falta de edu

Quarentena, meu bem!

Campo Grande está em quarentena desde março de 2020, em razão da pandemia do COVID 19.  Muitas pessoas ficaram totalmente confinadas. Aqui em casa, ainda saíamos para o supermercado e farmácia, quando necessário. Curtimos o jardim, o quintal, as flores, ficamos ao sol,  na piscina. No meu trabalho, ficaram pessoas atuando. A cada semana, foi aumentando o número de trabalhadores. Começamos com Home Office e fazendo reuniões em teleconferência, mas aos poucos fomos voltando. Agora trabalhamos durante 5 horas e com máscaras. Em Campo Grande o comércio já retornou, com a cautela necessária. Há um decreto que recomenda o uso de máscaras e a população tem acatado o regulamento. Em família já temos o costume de fazer atividades em casa. Sentimos falta da caminhada pelo parque, que substituímos pela caminhada pelas ruas da cidade e ciclismo. Nos dedicamos à gastronomia e jardinagem, atividades super gratificantes. Filmes e música também preenchem nossos dias. E assim vamos seguindo, um dia a