30 de maio de 2020

RECOMEÇO


RECOMEÇOS

Eu iria longe,
Muito longe
Além das minhas mais sublimes pretensões.
Alcançaria distâncias
Escondidas e esquecidas
Datadas e revisitadas,
Onde deixei discursos ensaiados,
e histórias polvilhadas
De revoadas além claustro.
Seguiria resoluta
Mas encontrei impermanência.
E, assim, escolhi fresta
Que me levasse a qualquer lugar.
Ensaiei acenos
E desisti da insistência
de um Ficar impossível.
 Enfim, recomeço,
Permeado de arroubos.





24 de maio de 2020

Fizemos Pão Italiano!

Mais uma da nossa Quarentena! Hoje fizemos nosso primeiro Pão Italiano! Ficou uma delícia ! Faz tempo que estamos ensaiando, com vontade de fazer! Então, vimos várias receitas e escolhemos a nossa, com informações aqui e ali. Fazer esse pão, tem um significado para nós, pois nos conecta diretamente aos nossos avós italianos. É como se os honrássemos mais esse dia, fazendo um ícone da cozinha italiana.
Sim, aqui em casa eu e meu marido somos descendentes de italiano. Uma calmaria só 😂. Tudo é intenso!
Mas, voltemos ao pão!
Sua receita é muito fácil. Alguns deixam ele descansar por 1 hora, 4 horas... Cada um faz de um jeito. Escolhemos deixar a massa descansar por 12 horas então fizemos as dobras e colocamos para assar . Nosso forno é elétrico, pode dar alguma diferença para quem usa forno à gás. Mas vá testando até chegar no formato adequado a você. Pão simples e leve, que carrega toda uma ancestralidade em si.
Aventure-se e  buon appetito!!




14 de maio de 2020

Ressignificar

Quando eu busco ser alguém melhor,
entendendo minhas dores e limitações pessoais,
eu, automaticamente, tenho um olhar pelo outro,
pois saio do lugar de vítima para protagonista.
Isso promove relações mais harmoniosas.
Entrelaça. Aproxima. Acolhe.
Quando sou capaz de abandonar certezas e razões pessoais,
Para me desculpar com outra pessoa,
Eu crio pontes, teço possibilidades,
Dou um passo para o congraçamento.
Doar de si, traz mais sentido à vida.
Transforma o mundo.
Te ressignifica e promove a paz.

12 de maio de 2020

Gratidão

De repente em algum lugar
você encontra alguém que faz a caminhada valer a pena.
Não abracei tristezas e não escolhi colher espinhos.
Assumo estações instáveis em que me coloco assombros.
Descortino fases, votos, risos e emoções profundas
Sem saber do tempo que resta.
Janelas ensolaradas anunciam enlevo,
E alguns de meus passos, tropeçam em escombros.
A história passa assim, rapidamente,
Rente à foz, quando da transição,
Escuto presságio de lucidez
Que me inspira e reseta o caos.
Em evolução comprimida,
Na escalada desse isolamento inóspito,
Há cenas de perfeita luz e calor infinito,
Verbos afáveis que salvam meu repertório
E tornam possíveis
minha tênue, mas consistente,
expressão do ser.




3 de maio de 2020

Casamento? Por que não?

A beleza atrai, mas não segura.
O dinheiro atrai, mas não segura.
A juventude atrai, mas não segura.
Qual o seu maior capital para investir em uma relação a dois?
Minha aposta é paciência, empatia, resiliência. Um tripé que é bem-vindo: respeito, confiança e admiração.
Você tem que decidir que vai fazer dar certo. Nada dá certo ao acaso. O casamento não sobrevive sozinho. Você tem que fazer dar certo.
O que você espera de um casamento? Companheirismo, apoio mútuo, crescimento pessoal e espiritual. Ou apoio material apenas?
Percebo que quando tudo se apoia no material apenas, algo superficial como beleza, dinheiro e juventude, a relação não sobrevive. Não consegue superar adversidades.
Vai daí que...Buscando algo para continuar, buscando motivos para permanecer, buscando objetivos que justifiquem a caminhada a dois, pode acontecer de dar certo. Afinal, se aconteceu e foi bom, já deu certo. Seja feliz com quem está ao seu lado e encontre razões para viver com leveza. Não é preciso muito ou todas as respostas. Saia do próprio ego. Olhe o próximo. A vida vai fazer mais sentido e você vai entender, que grandes respostas residem em coisas muito simples. Uma espécie de segredo, que qualquer um pode acessar. Basta querer. Saia de si para ser mais feliz.

Lixo espalhado? De novo?

Domingo de manhã, começamos a nossa caminhada pelo bairro e constatei algo muito ruim: todos os sacos de lixo reciclável estavam abertos, com resíduos plásticos espalhados pela rua. Isso acontece sempre e é lamentável ver esse cenário. Os catadores de lixo aqui em Campo Grande-MS, abrem os sacos para tirar o que lhes convém, mas não os fecham novamente. Se chove, a água leva os resíduos rua abaixo até chegar ao parque e ao rio, entupindo todos os bueiros pelo caminho. Bem triste.
Na quadra em que moro, há um cidadão que sempre dá refeição a um morador de rua. Que atitude bacana. Mas na sequência, o morador de rua, abandona o prato de isopor e a sacola ali mesmo, na calçada. Esperar o quê... E aí vem o vento e esparrama todo aquele lixo pela rua, até chegar no rio logo abaixo.
Durante a caminhada, na Via Parque sentido Parque do Sóter, há uma trilha de sujeira na pista de caminhada e ciclismo. Plásticos, garrafas e papéis jogados ao longo da via. Claro que há uma evidente falta de educação. Mas observo também que faltam lixeiras em diversos locais públicos. O certo, meu Deus que óbvio, é cada um recolher seu lixo. Mas, infelizmente, para algumas pessoas falta o principal: o senso de coletividade e respeito pelo meio ambiente.
A consequência desse desprezo pelo meio ambiente é sempre o mesmo: enchentes cada vez mais frequentes devido ao entupimento de bueiros e rios poluídos e transtornos na cidade. Campo Grande fica com grandes áreas alagadas em dias de muita chuva.
O ideal é cada um cuidar do seu entorno.  Não ficar esperando providências governamentais apenas.

Quarentena, meu bem!

Campo Grande está em quarentena desde março de 2020, em razão da pandemia do COVID 19. Muitas pessoas ficaram totalmente confinadas. Aqui em casa, ainda saíamos para o supermercado e farmácia, quando necessário. Curtimos o jardim, o quintal, as flores, ficamos ao sol,  na piscina.
No meu trabalho, ficaram pessoas atuando. A cada semana, foi aumentando o número de trabalhadores. Começamos com Home Office e fazendo reuniões em teleconferência, mas aos poucos fomos voltando. Agora trabalhamos durante 5 horas e com máscaras. Em Campo Grande o comércio já retornou, com a cautela necessária. Há um decreto que recomenda o uso de máscaras e a população tem acatado o regulamento.
Em família já temos o costume de fazer atividades em casa. Sentimos falta da caminhada pelo parque, que substituímos pela caminhada pelas ruas da cidade e ciclismo. Nos dedicamos à gastronomia e jardinagem, atividades super gratificantes. Filmes e música também preenchem nossos dias. E assim vamos seguindo, um dia após o outro, cuidando um do outro e nos preparando para o mundo que virá no pós-pandemia.

De Stella Para Romilce

 Na mesa estavam: papai, mamãe, vovô e vovó. Depois de vários dias e muitos nomes, restaram apenas dois nomes para escolherem: Carla ou Stel...