Mostrando postagens com marcador Carmen Eugenio Insights. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Carmen Eugenio Insights. Mostrar todas as postagens

9 de julho de 2018

Amor


Ah o amor
quantas voltas nos faz dar
quantas buscas, encontros e acertos.
Quantas idas e vindas permeiam uma história
lágrimas, sorrisos e abraços.
Quantos laços, casos e descasos.
O coração acelera, desespera e não se cansa
E o amor vai transformando tudo,
numa supremacia inquestionável.
Enfrenta nossas próprias marés,
desafia nossos cantos cartesianos,
e debocha de nossos maiores reveses.
No horizonte rosado, possível e intuitivo
surgem ainda inquisições pragmáticas.
E algo mais forte, sublime e cortês
nos afaga e susurra,
o amor, é a resposta para tudo.

Sonhos!


Como não ter sonhos?
Sonho até acordada!
Principalmente, eu diria.
Estamos em alerta constante,
por algum motivo real,
conectividade premente.
Mas o pensamente flutua
a alma passeia
e o coração anseia.
Passos largos para um abraço
caminhando com graça e gentileza,
buscando portas abertas e
janelas escancaradas,
para encontrar nossas verdades.


5 de julho de 2018

Instante

As palavras foram expressas
de maneira avessa,
com imensidões de véus
e acontecimentos breves.
O perfume que atravessava o verbo
era a partilha necessária
e certeira,
que acalentava espaços.
Quase tudo trazia um querer
e abraçava vontades.
Quando chegava a noite,
debruçava, latente
sobre sonhos e laços.
Tão impreciso
na fagulha de êxtase
e lapso incandescente.
Verdades e contramão.




3 de julho de 2018

Códigos

Meu desejo dissonante
que tais códigos
Demandem por mim.
São segredos e infinitos,
Composições dos meus conflitos.
Êxtase circunflexo
Que me descaminha
Por um estado perplexo
Apalpa meus porões absurdos
E meus desígnios diatônicos
Eu estou aqui
Me embriagando dos tons
Me nutrindo das notas e sons
Cada vez mais adentrando dicotomia
Ingressando nessa paisagem
Como se cada mensagem
Estivesse pactuada aos meus instantes.
Me encontro só.
Paralisada pela beleza
Engessada pela gentileza
Aglutinada à intenção de interpretar,
Num tropeço implacável com vírgulas e interrogações.
(Carmen Eugenio)

Paragem


E aquele lugar te faz sorrir
Aquela voz te faz imaginar
Aquele instante te faz sonhar.
Como se tudo que foi dito
Faça todo o sentido
E espalhe aromas
Colha desejos
E insista em devaneios.
Não precisamos procurar mais
O que perfuma por dentro
Todas as utopias, enfim,
Colam-se aos cristais do tempo.
Resistir? Pra que?




4 de julho de 2017

Eu mesma


Amo achar algo engraçado
Convivo com o pouco explicado
Esqueço mal-entendidos.
Enxergo meu reflexo.
Coexisto com o sem-nexo.
Gosto de olhar para o mar, para o céu.
Tenho uma bicicleta, 
livros, 
sonhos 
e um violão.
Conheço estradas e solidão.
Carrego vontades e sei sorrir.
Tenho saudades de algumas coisas.
Uma delas é conversar sem tempo prá terminar.
Sinto com coração.
E se outro dia se transformar em muitas horas
Posso ouvir sua respiração.

30 de junho de 2017

Acaso




Distraidamente
Encontrei frases e
Atada aos seus efeitos
Nem pensei em recuar.
Tropeços, avessos
Músicas , recomeços
tudo que não conheço,
Veio me abraçar.
Tudo quente e confortável
Nos instantes que restavam
Para que eu pudesse imaginar
Alguma coisa, qualquer coisa ou algo assim.
Estou aqui, ai , em algum lugar
E basta um instante pra encontrar.




23 de abril de 2012

O que te Faz Feliz?



Tantas coisas e tão simples...

Me sinto feliz em poder cuidar da minha saúde, mental e física. Sim, porque está mais que provado, que pensamentos ruins causam doenças físicas. Com saúde eu imagino que possa ver meus filhos crescerem e quem sabe, com sorte, ver meus netos também.
Com saúde eu posso viajar para conhecer culturas diversas, lugares distantes, surpreendentes, coisas que me fazem muito feliz.
Com saúde eu posso trabalhar. E o trabalho é capaz de melhorar nosso dia a dia. O trabalho traz o nosso alimento, nosso lar e nos permite realizar muitos sonhos.
Ter fé, acreditar em Deus, me conforta, me faz feliz porque eu tenho a convicção da sua Proteção.
Saber que desejo o bem a todo ser humano e que me educo diariamente para respeitar o próximo, me faz feliz. Olhar para dentro do meu próprio eu e ter a certeza, de que sou uma pessoa melhor a cada dia. Alguém que não guarda mágoas, que aprendeu a perdoar, alguém que aprendeu a olhar a vida com olhos de esperança e gratidão.
Quero melhorar minha real capacidade de amar e auxiliar.
Porque, aí sim, estarei verdadeiramente em paz com o mundo, comigo e com Deus.




5 de outubro de 2011

Vida



A vida é uma doce viagem e a cada dia,
nos convida para uma nova partida.
Com dias bons,
outros nem tanto...
Mas  sempre nos dá a  chance de festejar muitos recomeços.

Carmen Eugenio

14 de setembro de 2011

EU


"Amo achar algo engraçado
convivo com o pouco explicado.
Esqueço mal-entendidos.
Enxergo meu reflexo.
Coexisto também com o sem-nexo."
 Carmen Eugenio

30 de julho de 2011

DESTINO



Ás vezes, o acaso bate à sua porta.
Mas quando você pergunta quem é, ele responde: destino...
Eu ando distraída,
alegrias e interludios,
se alternam em minhas razões
Acomodam-se em horizontes
e me chamam à vida.
Como se tudo fosse passageiro
Um cenário móvel.
Sinto não ter vocação para montanha -
observo pouco.
Há uma vontade contemplativa
e mutante ao mesmo tempo.
Sem medo do desconhecido,
sigo abrindo portas,
conhecendo pessoas,
lendo sorrisos.
Essa gama de matizes
que tornam o hoje, um repente
o amanhã, um todo de incontáveis e possíveis rumos.

7 de julho de 2011

TRANSLÚCIDA


Nem sempre somos o que parecemos
Nem o que aparecemos
Mas o resultado de acontecimentos
Diversos,
Adversos,
Perversos,
Complexos
Perplexos
Sobrevivemos do que algumas ilusões orquestraram
 ou ocasiões sugeriram.
Ilusões, fantasias, devaneios
Encontros, êxtases, decepções.
O que importa, é não perder o embarque
A  próxima aventura pode começar nesse instante.
O que conta, é carimbar sua história com coragem
e com a vontade de quem acredita que muita coisa pode dar certo
Coexistindo com os medos, tropeços,
e festejando alegrias,
Se despencar,
 não demore no desmoronar.
Quem sabe essa história
 ainda tenha um final feliz...
Quem não quer?
(Carmen Eugenio)

3 de julho de 2011

ROMANCE




Eu quero ser sutil
Mas que minha sutileza não pareça ingenuidade.
Eu olhei para o céu hoje
Pois ao redor encontrei ninguém.
Eu esperei ver novamente 
um sorriso, um olhar, uma voz
E pensei: quando queremos muito ver alguém
Ou o tempo não passa...
Ou passa rápido demais.
Eu sou alguém sem o impossível.
Em algum momento serei resgatada,
Com vida,
Daquilo que não gosto, 
do que me sufoca, do que me afoga.
Levarei comigo o mesmo céu que me acalentou.
E a vontade de viver esse tal romance
Com algodão doce e maçã-do-amor.
Andar de mãos dadas e entender segredos
Abraçar apertado, compassado, dançar.
Caminhar sem pressa, pois toda a espera
Acaba por se justificar.
(Carmen Eugenio)

4 de maio de 2011

SER MÃE

Não é fácil ser mãe.
Mas a cada dia, quando minha filha me acorda percebo em seus lindos olhos, algo maior que eu mesma.
Percebo que mais uma vez, Deus me convidou para participar do milagre da vida e meu único trabalho é saber agradecer e vivê-lo intensamente.
Há cinco anos recebi um presente de Deus.
Uma estrela, que recebeu o nome de Stella!
Senhor, obrigada pelos meus filhos, Sthéfano e Stella.
Que o Senhor continue abençoando-os abundantemente e que nos dê vida longa para continuarmos por muito tempo unidos em Seu Amor.
Obrigada pelos seus sorrisos, olhares e abraços!
Obrigada  por descobrir neles a centelha de Seu próprio amor.
Parabéns a todas as mães, por festejar a vida em sua forma mais sublime – a perpetuação, pois Deus deposita em nós a missão de acalentar a sua Criação!

13 de março de 2011

Amor e Liberdade

"As pessoas precisam de mais amor, que de julgamento.
As pessoas precisam de mais carinho, que de críticas.
Mais de afeto, que de objetos.
 As pessoas precisam de mais perdão.
Perdoe. Perdôe-se. Liberte-se."
 (Carmen Eugenio)

Qual a sua cor preferida?


Até outro dia, eu responderia de imediato esta pergunta.
Mas hoje não consigo.
A vida, feita de ciclos, está mudando novamente. Eu devo estar encerrando ou iniciando mais um deles.
Nem sempre a transição de ciclos é pacífica ou alentadora. Ás vezes é pontuada por rupturas.
E rupturas são dolorosas.
Mudar, geralmente, dói. Mas é necessário.
Principalmente, quando algo não está tão bom, quanto você gostaria que estivesse.
Então, é preciso coragem. E é preciso coragem para promover mudanças em você. Desista de querer mudar os outros. Isso é pura ilusão.
 Mudanças são vôos solos.
A grande vilã desse processo, tão natural, é a rotina. A rotina acostuma, acomoda, tiraniza. Nos faz ter medo do novo.
Há dias que nos falta ânimo até para sair da cama. Mesmo assim, abra a janela e deixe a luz do sol inundar seu espaço, seus passos, sua vida. Essa força, te fará companhia quando sentir solidão ou fraqueza.
As pessoas precisam de mais amor, que de julgamento.
As pessoas precisam de mais carinho, que de críticas.
Mais de afeto, que de objetos.
As pessoas precisam de mais perdão.
Perdoe.
Perdôe-se.
Liberte-se.
Abra espaço para o novo.
Respire profundamente, os ares da esperança.
Ainda que o cenário permaneça o mesmo, seus pensamentos estarão mais leves, sua alma mais serena, seu coração renovado.
É um outro ciclo que te abraça e inaugura um novo ser!

Carmen Eugenio



"Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses."
Rubem Alves

20 de fevereiro de 2011

E a Luz?


De vez em quando
Sem entender direito
A luz incandescente
Desaparece
Não sei por que,
Não sei como,
...prá onde vai?
Fico a procurar
Não quero que desapareça
Não me abandone ao breu
desse interstício
Ao suprimir clarão
Outorgaria chaga ao meu coração.
Pois eu,
Despojada de postura estóica
Por demorada ausência
Encontro-me em inospita abstinência
Involuntária, certamente
Da simbiose que me abraça
Docemente.

16 de fevereiro de 2011

Hiatos

Insolentes equinócios, hiatos.
Desejo, ainda que ao ocaso.
Não sem querer
que espero as cores do crepúsculo.
Cerca-te híade luminosa e meus dias se eternizam!
Como é insuportável ver nuances sem tocar matizes.

(Carmen Eugenio)


De Stella Para Romilce

 Na mesa estavam: papai, mamãe, vovô e vovó. Depois de vários dias e muitos nomes, restaram apenas dois nomes para escolherem: Carla ou Stel...