Pular para o conteúdo principal

A ARTE-EDUCAÇÃO E OS MEUS SONHOS


Essas aulas são de modelagem em Argila. Motivo de muita felicidade para as crianças e muita dor de cabeça para o pessoal da limpeza. Por essa razão, acabaram proibidas pela direção da escola.
Tristeza para mim e para as crianças.
Então eu resolvi contar dois dos meus sonhos.
Um, é que toda escola pública possa ter uma sala de artes com bancadas individuais e instalações apropriadas para esse fim. Assim, o arte-educador poderá receber os alunos em um ambiente adequado para desenvolver as atividades de artes.
O que acontece hoje, é o seguinte: O professor de artes, tem uma aula apenas de 45 minutos onde é praticamente impossível verificar o aproveitamento de todo o seu potencial. As aulas , ao menos,deveriam ser geminadas.
Como podemos observar nas fotos, as crianças, carentes de atividades lúdicas no seu dia-a-dia, por razões largamente propagadas, ficam intensamente felizes nas aulas de artes. São aulas em que sentem-se motivadas para desenvolverem sua capacidade de criação e auto-expressão.
Hoje, na escola em que trabalho, as aulas de modelagem em argila e papel maché, estão proibidas porque não há tempo para limpar as salas. Afinal de contas, eu e as crianças,vamos sujando sala por sala. Se fosse uma sala só, seria muito mais fácil a manutenção. Então eu pergunto: de que adianta tanto preparo na Universidade, se não encontramos um lugar para exercer nossas inúmeras habilidades?
É triste constatar que anos de ensino obrigatório da arte não desenvolveu a qualidade estética da arte-educação nas escolas.
Hoje, em Campo Grande/MS, há apenas uma escola municipal que possui uma sala de artes.

Sim, porque, na escola particular também não há incentivo.
Meu outro sonho, é poder escrever um livro sobre História da Arte, e que esse livro seja distribuído a todos os alunos da escola pública, como são os livros de português e matemática...
Acho que esse sonho é mais difícil ainda..
O que acontece hoje, é que precisamos reproduzir imagens de grandes artistas e levar aos nossos alunos. Cada professor produz o seu próprio material. Se o arte-educador não se interessar, o aluno sairá prejudicado. Ficará sem acesso ao maravilhoso mundo da História da Arte.
É isso.
Esses são alguns dos meus sonhos.
Quem sabe um dia, eu encontro alguém que os transforme em realidade!!!

Comentários

  1. Parabéns pelo trabalho que você desenvolve... estou te seguindo no twitter,e vou visitar mais vezes seu site.

    Bjs que Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada! Adorei seu blog também! Seu comentário é da maior valia!

    ResponderExcluir
  3. Que lindo seu trabalho! Um incentivo muito importante para nossas crianças, diria até fundamental na formação delas. Infelizmente nem todos enxergam isso. E que falta de apoio não? Limpar as salas até geraria mais empregos! Se existir alguma forma de ajudar daqui mesmo, pode contar comigo. Abs.

    ResponderExcluir
  4. Nossa! Muito obrigada! Só essa corrente é um apoio importantíssimo para que a arte-educação não encontre descaso por parte das autoridades! Obrigada!

    ResponderExcluir
  5. Olá Carmen. Muito triste a forma como a arte é tratada e ela é tão importante para o desenvolvimento das crianças.
    Parabéns pelo seu trabalho e que vc consiga realizar seus sonhos. Abraços: Heloisa.

    ResponderExcluir
  6. Heloísa, muito obrigada pela sua consideração e carinho em apreciar o trabalho que desenvolvemos com tanto zelo! bjos no seu coração!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Seu comentário é valioso para mim.
Muito obrigada!

Postagens mais visitadas deste blog

Humberto Espíndola - Ícone da Arte Contemporânea em Mato Grosso do Sul

Aprecio as obras de arte em minha casa e há uma especial, de família - Os Bois, de Humberto Espíndola. Certa ocasião fui visitá-lo em sua casa-ateliê, um santuário das artes. Fantástico estar naquele lugar, na companhia desse que é um dos principais artistas plásticos do Centro-Oeste. Seu nome está grafado na história da cultura brasileira. Embora sermos de gerações diferentes, nossos pais sempre foram muito amigos. Eu lhe disse:- Humberto, eu sou a Carminha, filha do Victor e da Flória. E ele disse: - Claro que sei!! Meus padrinhos de casamento!! E então conversamos a tarde inteira e eu pude, extasiada, contemplar suas obras. Humberto Espíndola, pintor autodidata, estreou nacionalmente no IV Salão de Arte Moderna do Distrito Federal, em 1967, em Brasília. Formou-se em jornalismo na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade Católica do Paraná, em 1965 e no ano seguinte, organizou a Primeira Exposição dos Artistas Mato-Grossenses, em Campo Grande, onde fundou,

Formato de Coração

Ele é especial E sabe disso. Nesse tempo, É tanto e tudo Quando fala Quando indaga Ou quando faz tudo ficar mudo. Quando se torna movimento ou paralisa qualquer instante ele é magia, contornos e brisa contagia minha vontade e derrete algumas verdades Ele é, em meu mundo, Um muito de todas as coisas De qualquer canto E qualquer cor. Por seus olhos Meu encanto permeia Desejo sensorial pleno forma arrebatadora de momentos sem chão. Formato de coração. Há ainda o arremate De abraços e vontades Num horizonte de quereres e emoção. E se, em todas as vezes, Em que o encontro se fez urgente E as certezas tiraram o talvez, Celebro com alegria Estar ao seu lado, Pelo infinito da Vida Contando tudo, outra vez. Carmen  Eugenio                                                     Carmen Eugenio e Cesar Crivellente

ENCONTRO

A mensagem logo cedo é clara: saudade não demora e se instala. Há logo o desejo de sobrepor retina um repente que desorienta, seduz, manda recado, troca segredos, e entende silêncios. E na escalada de emoções latentes, são tantas luas de promessas quentes, que já nem sei se o sabor do vento é o mesmo que provei, antes da sua chegada. E à noite eu me aqueço nos vãos de suas palavras, sem rotina, nem tropeços eu tento, não me esqueço, superar cada passo, dançar no ritmo do seu compasso.                                                      Cesar  Crivellente e Carmen Eugenio