Pular para o conteúdo principal

Postagens

Refúgio

Há instantes, Reguei primaveras no jardim. São movimentos e texturas Que me envolvem no retiro. Aprecio o balé das araras, Numa lenta cadência e despretensioso vagar. Há cheiro de manjericão no ar e o vento seco do inverno me faz só, como um resoluto esteta que aprecia luas de quarto-crescente com algodão doce na soleira. E o silêncio me aquieta e me reseta. Busco a companhia de palavras em livros e poemas, para atravessar o ciclo e alcançar revoada. (Há Vida na Pandemia)

O Senhor da Razão

O “Senhor da Razão” não percebe que tudo na vida é uma questão de perspectiva. Cada ser humano tem uma interpretação, o que faz do “Senhor da Razão” alguém sempre sozinho. Por isso, o mais importante, continua sendo o respeito. O respeito te traz paz, companhia dos que te amam e te faz alguém bom. Porque a nossa verdade, na maioria das vezes, é apenas nossa. Não queira que suas convicções sejam as mesmas de outras pessoas. Isso não existe. Abandone o vitimismo de acreditar que é enganado. Ninguém tem culpa da sua visão distorcida de si próprio, de não se achar digno de ser feliz e sempre estar procurando defeitos nas pessoas ao seu redor. A responsabilidade sobre sua felicidade é apenas sua. Você é o responsável . Jamais culpe alguém pela sua infelicidade. Isso vale para todo relacionamento: entre pais e filhos, entre colegas de trabalho, entre sócios, entre amigos, entre irmãos e entre cônjuges. Apenas aceite outros pontos de vista, sem julgamentos e sem se colocar

RECOMEÇO

RECOMEÇOS Eu iria longe, Muito longe Além das minhas mais sublimes pretensões. Alcançaria distâncias Escondidas e esquecidas Datadas e revisitadas, Onde deixei discursos ensaiados, e histórias polvilhadas De revoadas além claustro. Seguiria resoluta Mas encontrei impermanência. E, assim, escolhi fresta Que me levasse a qualquer lugar. Ensaiei acenos E desisti da insistência de um Ficar impossível.  Enfim,  recomeço, Permeado de arroubos.

Fizemos Pão Italiano!

Mais uma da nossa Quarentena! Hoje fizemos nosso primeiro Pão Italiano! Ficou uma delícia ! Faz tempo que estamos ensaiando, com vontade de fazer! Então, vimos várias receitas e escolhemos a nossa, com informações aqui e ali. Fazer esse pão, tem um significado para nós, pois nos conecta diretamente aos nossos avós italianos. É como se os honrássemos mais esse dia, fazendo um ícone da cozinha italiana. Sim, aqui em casa eu e meu marido somos descendentes de italiano. Uma calmaria só 😂. Tudo é intenso! Mas, voltemos ao pão! Sua receita é muito fácil. Alguns deixam ele descansar por 1 hora, 4 horas... Cada um faz de um jeito. Escolhemos deixar a massa descansar por 12 horas então fizemos as dobras e colocamos para assar . Nosso forno é elétrico, pode dar alguma diferença para quem usa forno à gás. Mas vá testando até chegar no formato adequado a você. Pão simples e leve, que carrega toda uma ancestralidade em si. Aventure-se e  buon appetito!!

Ressignificar

Quando eu busco ser alguém melhor, entendendo minhas dores e limitações pessoais, eu, automaticamente, tenho um olhar pelo outro, pois saio do lugar de vítima para protagonista. Isso promove relações mais harmoniosas. Entrelaça. Aproxima. Acolhe. Quando sou capaz de abandonar certezas e razões pessoais, Para me desculpar com outra pessoa, Eu crio pontes, teço possibilidades, Dou um passo para o congraçamento. Doar de si, traz mais sentido à vida. Transforma o mundo. Te ressignifica e promove a paz.

Gratidão

De repente em algum lugar você encontra alguém que faz a caminhada valer a pena. Não abracei tristezas e não escolhi colher espinhos. Assumo estações instáveis em que me coloco assombros. Descortino fases, votos, risos e emoções profundas Sem saber do tempo que resta. Janelas ensolaradas anunciam enlevo, E alguns de meus passos, tropeçam em escombros. A história passa assim, rapidamente, Rente à foz, quando da transição, Escuto presságio de lucidez Que me inspira e reseta o caos. Em evolução comprimida, Na escalada desse isolamento inóspito, Há cenas de perfeita luz e calor infinito, Verbos afáveis que salvam meu repertório E tornam possíveis minha tênue, mas consistente, expressão do ser.

Casamento? Por que não?

A beleza atrai, mas não segura. O dinheiro atrai, mas não segura. A juventude atrai, mas não segura. Qual o seu maior capital para investir em uma relação a dois? Minha aposta é paciência, empatia, resiliência. Um tripé que é bem-vindo: respeito, confiança e admiração. Você tem que decidir que vai fazer dar certo. Nada dá certo ao acaso. O casamento não sobrevive sozinho. Você tem que fazer dar certo. O que você espera de um casamento? Companheirismo, apoio mútuo, crescimento pessoal e espiritual. Ou apoio material apenas? Percebo que quando tudo se apoia no material apenas, algo superficial como beleza, dinheiro e juventude, a relação não sobrevive. Não consegue superar adversidades. Vai daí que...Buscando algo para continuar, buscando motivos para permanecer, buscando objetivos que justifiquem a caminhada a dois, pode acontecer de dar certo. Afinal, se aconteceu e foi bom, já deu certo. Seja feliz com quem está ao seu lado e encontre razões para viver com leveza. Não é precis